Já é tempo de sair do armário.




Muitas vezes deixamos de ser ou de fazer algo por receio do que os outros irão pensar, do julgamento que nossas ações irão receber.

E assim o tempo passa...
E assim você enterra lá no fundo aquela vontade de aprender francês, de largar o direito e começar sua carreira de músico, de começar a fazer balé. Enfia lá no fundo da gaveta aquele seu poema.

E assim a vida passa...
E com ela aquela sensação de “E se?”.
E se eu tivesse feito?
E se eu tivesse dito?
E se eu tivesse aproveitado?
E se eu tivesse tentado?
E se eu tivesse vivido?

Já é tempo de sair do armário... Deixa ser... Se joga!

Não parece óbvio que deveríamos fazer exatamente o que queremos? Mas qual é o motivo de perdemos oportunidades de fazer nós mesmos felizes?

Não há uma resposta única para essa pergunta. Muitas vezes não fazemos para satisfazer a vontade de outra pessoa fazer outra pessoa feliz... Algumas vezes é por medo de falhar e não dar conta do desafio. 
Mas essa não é a vida? Um desafio atrás do outro? Um degrau após o outro?

Há aqueles que não o fazem por medo do julgamento e esse medo muitas vezes é consequência de um único e insensível sentimento: a insegurança.
Sentimo-nos inseguros e sempre achamos que não somos bons o suficiente, que poderíamos ter feito melhor...  Em muitos momentos chegarmos ao ponto de pensar “Eu não sou capaz, eu nunca serei assim, eu nunca vou conseguir fazer isso” e desistir ou se auto sabotar, deixando de lado a chance de lutar por algo que irá nos fazer feliz.

Emma Watson, em uma entrevista à revista Rookie, declarou: “Parece que quanto melhor eu me saio, maior é o meu sentimento de inadequação, porque penso que em algum momento, alguém vai descobrir que eu sou uma fraude e que eu não mereço nada do que conquistei”.  Sim, a talentosíssima e linda Emma tem a mesma sensação que pode estar de impedindo te tentar. Esse fenômeno chamado “síndrome do impostor” faz com que você deixe de acreditar em si mesmo e passe a se convencer de que os elogios e reconhecimento em relação à sua conquista não são méritos seus. Isso normalmente ocorre frente a uma situação desconhecida, um novo desafio, e traz consigo a tal da insegurança. Um dos mecanismos de defesa frente a esse sentimento é o “nem tentar”.

E a insegurança torna-se medo, medo que te faz querer ser pequeno o suficiente para desaparecer. Tornar-se invisível.
E então você se acomoda. Deixa como está... "Tudo bem, eu posso passar mais alguns anos nesse emprego"... "Eu não tenho mais idade para aprender a dançar mesmo".

E o medo? Traz os sonhos perdidos e com eles a infelicidade. E quando chegamos nessa época do ano pensamos: “O que eu fiz durante o ano que se passou?” “Onde eu estava?” “Por que mesmo eu não alcancei as minhas metas?”.

E então você cai nessa imensidão de infelicidade.

Acontece que depois de cair várias e várias vezes você aprende: talvez eu não tenha encontrado exatamente o que me faz feliz, mas eu aprendi o que acontece quando eu ignoro as chances de buscar a minha felicidade e isso me leva a pensar que eu tenho que tentar, independente do desafio, independente do que os outros digam; talvez eu ainda não tenha descoberto quem eu realmente sou e o que eu realmente quero, mas eu aprendi exatamente quem eu não sou, quem eu deveria parar de tentar ser e o que eu devo fazer para chegar mais perto do que eu quero para mim.

E assim, desejo que em 2016 você deixe de lado toda a sua insegurança e busque o que te faz feliz, mesmo nas mais pequenas ações no seu dia a dia. Um pequeno passo por vez, para que ao final desse novo ano você possa dizer: Sim, eu estava aqui! Eu tentei! Eu tive sucesso! Eu falhei! Eu aprendi! Eu estou mais perto de quem ser quem eu quero! Eu vivi! Eu fui feliz!

Desde o inicio do Blog penso em postar textos próprios, sempre gostei de escrever o que sinto, o que penso. Nunca tive coragem de mostrar (salvo exceção da pessoa que recebeu todas as minhas cartas e textos) ou publicar nada, pois sempre tiver vergonha do que os outros iriam pensar. Esse silêncio acaba hoje e esse foi o meu primeiro texto. Abandonando a insegurança e gritando para o mundo: “Eu quero escrever, eu vou escrever!”. E assim, todo o primeiro sábado do mês trarei um pouquinho mais de mim!
Vai ter texto próprio sim e o choro é livre!

 Espero que tenham gostado e espero do fundo do meu coração que você inicie o que quer que seja que esteja passando pela sua cabeça e que esteja sempre pronto para agarrar uma oportunidade de ser feliz!

Deixo aqui o trecho de uma música que retrata muito o que quis trazer com esse texto:
"Devia ter amado mais
Ter chorado mais
Ter visto o sol nascer
Devia ter arriscado mais e até errado mais
Ter feito o que eu queria fazer
Queria ter aceitado as pessoas como elas são
Cada um sabe a alegria e a dor que traz no coração"
                                                                       Epitáfio



Feliz Ano Novo...
Se você gostou do texto, siga o Blog na caixinha ali do lado e curta a nossa página do face!
Beijos...

*para saber mais:

3 comentários:

  1. Que texto maravilhoso, as vezes sentimos tanto medo e insegurança que deixamos de viver e aproveitar as coisas boas da vida. Nunca é dar pra acordar, dar um ponta pé na vida e sair do armario rumo a felicidade. Feliz 2016!

    ResponderExcluir
  2. Eu já vitima do famoso "e se" e morria de medo de fazer algo a respeito. Até que comecei a reparar em todas as oportunidades que perdi e decidi mudar isso. Claro, ainda tenho meus medos e minhas dúvidas, mas eu vou atrás do que vai me fazer feliz e não deixo mais o medo me segurar, afinal, todo mundo erra um dia e todo mundo fracassa em alguma coisa, mas isso não quer dizer que eu não devo tentar. Eu tento sim, e se fracassar, levo a lição e tento de outra forma, porque quem persiste, consegue tudo o que quer.

    Parabéns pelo texto incrivelmente inspirador <3.

    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Linda!!!Obrigada! Por mais pessoas como você! <3

      Excluir