Bye bye zona de conforto!



O que existe entre o que te faz reclamar e o que você acha que irá contribuir com a sua felicidade? M-U-D-A-N-Ç-A!



Sempre há aquele objetivo ou aquela vontade e, no meio do caminho, todo aquele medo.
Quero mudar minha alimentação, mudar de emprego, ir viajar pelo mundo... Essas são algumas das muitas coisas que as pessoas almejam, mas falham na hora de por em prática. Por quê? Medo de não obter êxito, medo de sentir dor ou desconforto, medo de se arrepender.

A mudança é chata, dolorosa, angustiante e, por isso, colocamos um muro entre nosso estado atual e nosso objetivo. A esse espaço, dentro dos nossos muros, damos o nome de Zona de Conforto.
É seguro; é confortável; tá ruim, mas poderia ser pior. Podemos definir a zona de conforto como um conjunto de ações, pensamentos e/ou comportamentos que estamos habituados a ter, que estamos seguros em fazer, mas que nos limitam e nos impedem de realizar grandes avanços e atingir nossos objetivos.

Mudar é necessário! Sair da zona de conforto, por mais assustador que seja, é necessário! Só assim você vai entender que a cada mudança novas perspectivas surgem e um novo você renasce.

Com as transformações, conseguimos enxergar um antes e um depois, assim, a cada mudança, um novo “eu” se reconstrói... Depois de se compreender e entender, esse “eu” está pronto para se desconstruir novamente e mudar... Num ciclo de amadurecimento.

Na hora de mudar devemos ter em mente alguns pontos importantes:
  • Não tenha medo do que os outros vão pensar;
  • Trace metas atingíveis e objetivos claros;
  • Confie em você mesmo;
  •  Não leve em consideração o sentimento de arrependimento. Pode parecer que o antigo era melhor e que você irá se arrepender. Você só vai saber se valeu a pena quando chegar lá, então não sofra por antecipação;
  •  Faça por você e por mais ninguém. Sempre terá alguém para criticar ou dizer que você não é capaz. Se você quer mudar, se você quer crescer, se você quer se reconstruir, faça!
  • Visualize a mudança e o sucesso. Tenha a consciência de que você está caminhando para algo melhor.

Lembre-se: ser feliz necessita de mudança e movimentação, além de tolerância a grandes doses de incertezas e medos!


4 comentários:

  1. Oi Thais!
    Super concordo com a sua publicação.
    Não devemos ter medo do novo, temos que arriscar e entender que não sabemos o dia de amanhã. Então não adianta a gente se apegar nos "e se..."

    Adorei.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Fico feliz que tenha gostado...
      Sim, se não fosse pelos "e se...' a gente seria tanta coisa!

      Excluir
  2. Ao passar pela net afim de encontrar novos amigos e divulgar o meu blog, me deparei com o seu que muito admiro e lhe dou os parabéns, pois é daqueles blogs que gostaria que fizesse parte de meus amigos virtuais.
    Se desejar visite o Peregrino E Servo. Leia alguma coisa e se gostar siga, Saiba porém que sempre vou retribuir seguindo também o seu blog.
    Minhas cordiais saudações, e um obrigado.
    António Batalha.
    http://peregrinoeservoantoniobatalha.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada António. Fico feliz que tenha gostado!
      irei visitar com certeza!

      Excluir