Cafés em Curitiba: 4BEANS Coffee Co.




Eu sempre quis conhecer lugares novos, mas a rotina e comodidade sempre me leva aos mesmos roles. Por isso, há uns dois anos eu tive a ideia de conhecer um café novo por mês. Mas, essa meta ficou no papel por um tempo.

A ideia de 12 cafés por ano estava nas minhas metas há tempos, em 2020 ela começou a se realizar. Nesse ano, eu irei sortear um café por mês para conhecer aqui em Curitiba. Nós fizemos uma lista com 14 nomes e, aos poucos, vamos conhecer (e mostrar para vocês) cada detalhe dos cafés selecionados.

Para começar, em janeiro fomos conhecer a 4BEANS Coffee Co.
Com uma identidade visual incrível e grãos selecionados, a 4beans fornece uma ampla experiência sensorial.

Cafés em Curitiba: 4BEANS Coffee Co.

Cafés em Curitiba: 4BEANS Coffee Co.

Bom, mas vamos começar pelo início: a 4beans é uma microtorrefação de cafés especiais, ou seja, eles fornecem grãos para alguns cafés e estabelecimentos. Mas, para alegria geral, a 4beans tem uma janelinha, com adoráveis mesinhas, para que você possa tomar a sua xícara de café.
Na janela, você pode escolher entre espresso e filtrado dos grãos disponíveis no momento. E, esses grãos são bem diferentes, com uma variedade que faz você ficar confuso na hora de escolher.
Além disso, dá pra espiar o processo de torra sendo feito.

Cafés em Curitiba: 4BEANS Coffee Co.

Cafés em Curitiba: 4BEANS Coffee Co.

 Nós escolhemos um filtrado, que custou 10 reais. O grão era um Fermentado, do Espírito Santo e essa foi a descrição que fez com que a gente escolhesse essa belezinha: “Tutti frutti, morango, laranja, maracujá...Vividamente aromático e saboroso”.
Cafés em Curitiba: 4BEANS Coffee Co.

Cafés em Curitiba: 4BEANS Coffee Co.

A 4beans é especializada na torra e venda de cafés, por tanto, faça uma paradinha quando estiver passando por lá e aproveite para conhecer algum grão diferente do comum. Ela fica na Alameda Augusto Stellfeld, nº 795.

E se você quiser levar para casa, a 4Beans tem pacotes de tipos de cafés à disposição pra chamar de seu. Os pacotes têm 250 gramas e variam de preço. Nós escolhemos trazer para casa o Pilar Obatã, um grão aqui do Paraná que custou 28 reais. A descrição no pacotinho? “Aroma de castanha, corpo leve e acidez de maçã. Azedinho doce!".

Não vou me atear aos detalhes do café, pois sou uma grande amadora me aventurando por essas experiências. Mas, pode ter certeza que se bater na janelinha da 4beans eles irão te indicar algo para experimentar.
No total, gastamos R$38,00, sendo que dez foi o consumo do filtrado no local e 28 o pacotinho que trouxemos para casa.

O sorteio do próximo mês já foi feito lá no instagram. Em fevereiro iremos conhecer uma franquia do Duckbill Cookies & Coffee. Com uma pegada bem diferente do café de janeiro, estou curiosa para experimentar os Cookies.

Fique de olho, que em 2020 teremos 12 cafés por ano.

Me conta nos comentários: você gosta de conhecer lugares novos?
Tem algum para indicar?





Como ter um blog de sucesso - Interação



Muitas pessoas sonham em ter um Blog que deixe de ser hobby e se torne uma fonte de renda. O Adivinha Honey é mais hobby do que profissão, mas nem por isso eu deixei a tal da profissionalidade de lado e sempre tentei construí-lo da forma que eu achava ser a mais correta.

E é por isso que eu comecei a dividir com vocês alguns pontos que acho importante na hora de colocar a mão na massa.

Essas dicas fazem parte de um post maior, são 15 dicas  de como começar um blog
Nós já falamos sobre identidade visual, divulgação e tantas outras coisas. Hoje vamos falar um pouquinho mais sobre como realizar interações que vão contribuir com o crescimento do seu blog!


12- Troque ideias com os seus leitores:
Peça a opinião dos leitores e RESPONDA aos leitores!
Pediu alguma sugestão de tema, por exemplo, agora você precisa atender e fazer um post com o que os leitores te enviaram...

Você pode até dizer que escreve para você, apenas sobre o que gosta ou para você se desenvolver, se conhecer. Mas, quando voê publica, sempre vai ter alguém além de ti para ler. Conheça essas pessoas!
Interaja, saiba do que elas gostam, saiba qual é a razão que faz com que elas acompanhem seu trabalho.
Uma forma de conseguir isso é realizar perguntas no final do post: o que acharam sobre o assunto? Já experimentaram esse produto? Tem algum dica sobre isso?
Mas, não se esqueça de responder! Se o leitor se deu ao trabalho de comentar, tire um tempinho para interagir e responder.
Se o leitor pediu post sobre um tema específico, faça um esforcinho para conseguir atender!

Não se esqueça de responder também nas redes sociais. Muita gente acompanha por lá e é tão educado quanto o autor responde!

13-Interaja, mas não faça spam:
Retribua visitas, comente em Blogs que gostar, curta páginas...Ma,s só se você gostar, só se você tiver interesse, só se você se identificar.
Não minta dizendo: “Adorei sua página, já curti! Vem conhecer a minha?”.
Se a pessoa gostar do seu trabalho ela irá te visitar e se ela achar válido irá curtir, mas não como forma de retribuição e sim como forma de reconhecimento.
Seja inteligente, comente coisas pertinentes ao post que vocês está visitando. Mostre que se interessou, acrescente com sua experiência e, assim, automaticamente a pessoa irá querer conhecer o seu trabalho.

Além de interagir com seus leitores, interaja com outras blogueiras. Juntas somos mais e, além disso, você pode ter muito o que contribuir com o post dela e até mesmo encontrar uma inspiração. 
Mas, presta atenção: é muito chata quando recebemos spam.

"Thais, o que é spam?"
Aquela mensagem que você manda pra todo mundo! "Lindo blog, conheça o meu!"; "Já tô seguindo, retribui?"; "Tem post novo, vem ver?!"

Entrou num blog ou viu uma foto legal no instagram/facebook, comente algo pertinente. Seja educado, dê sua opinião, responda caso haja alguma pergunta. 
Eu tenho certeza que a pessoa vai ficar curiosa para saber mais sobre você e vai entrar no seu blog pra te conhecer. 
Vai que rola uma amizade ai e quem sabe até uma parceria




No próximo post eu irei contar sobre as parcerias que já realizei e como consegui. Fique de olho!

Me conta ai? Você costuma interagir com seus leitores e com outras blogueiras?

Beijos...

Calça de alfaiataria: como compor looks despojados




A calça de alfaiataria já foi considerada brega e extremamente formal. Quando eu era adolescente Deus me livre ter que trabalhar em algo que exigisse usar esse tipo de calça que, ao meu ver naquela época, não tinha nada de sexy e descolado.

Ainda bem que o tempo passa! Hoje a calça de alfaiataria se tornou uma parte fundamental do armário de muitas mulheres, inclusive no meu!

Essa peça pode ser usada tanto em produções elegantes quanto em eventos mais casuais e isso depende apenas de como você irá compor o seu look. Misturar cores, acessórios, texturas e apostar em sapatos menos formais, fazem toda a diferença no look.

Há tempos que queria uma calça de alfaiataria. Eu não gosto de usar jeans (acho lindo, mas quase nada confortável) e não queria pagar horrores em uma peça nova. Por isso, garimpei essa calça de alfaiataria em um bazar e pague R$10,00.
Ela ficou um pouquinho grande na cintura e o cós dela é baixo, mas por enquanto foi a calça de alfaiataria mais barata e na cor que eu queria.

O modelo que comprei tem um corte reto, o que favorece os meus quadris largos dando a impressão de serem menores.
Confere abaixo três opções de look com essa peça:

calça de alfaiataria como usar


 Primeira combinação:
• Blusinha rosa (tecido leve)
• Cinto
• Mule

Segunda combinação: 
• Tshirt
• Cinto
• Bota de verniz

Terceira combinação: 
• Blusinha básica azul
 Kimono
• Oxford

Pra finalizar, selecionei alguns modelos de calça de alfaiataria  disponíveis por menos de R$30,00. 


calça de alfaiataria barata
1.  Calça cinza claro R$27,48
2.  Calça Cinza  R$25,84
3.  Calça Alfaiataria Giz R$13,00
4.  Calça AlfaiatariaR$30,00


Se você quer receber notícias e novidades no mundo da moda (e do garimpo), me segue no instagram e fica ligadinha.

Me conta nos comentários, qual é a sua combinação favorita?
Beijos...


Afrouxar o passo




Um novo ano começa e com ele a 365 novas oportunidades.

Porém, hoje, dia 13 de janeiro, eu já percebi que comecei meu ano errado e que se continuar assim eu irei me afastar de tudo aquilo que eu desejo ser.



Pra entender essa reflexão, devemos levar em consideração que esse é o meu primeiro período de férias sem nenhuma responsabilidade. Apesar de já ter tido período sem trabalhar/estudar (fora de casa) a rotina de pós-graduação stricto sensus sempre me cobrou muito. E era nesses dias de “férias” que eu aproveitava para colocar tudo o que precisava ser feito em ordem.
Pois bem, dez anos depois, primeiro tempo realmente livre e a minha cabeça continua me cobrando produtividade: “como assim você não produziu nada hoje?”. E isso tem me deixado muito mais ansiosa do que normalmente eu estaria.

Mas, afinal: o que é ser produtivo?
Durante a minha vida acadêmica ser produtivo era alternar entre dois estágios, somado as aulas de inglês. Ou, me ocupar com fazer uma graduação e mestrado ao mesmo tempo. E, é claro, ler e escrever o máximo que pudesse mesmo durante os almoços em família. E agora, como fazer a minha cabeça entender que eu preciso afrouxar o passo e que produtividade pode ser fazer um suco de folhas verdes e observar o por do sol? Ou mesmo ler um capítulo de livro apreciando uma caneca de chá? Como eu faço para a minha mente entender que eu não preciso ser uma máquina de produtividade e criatividade, ou melhor, que eu posso ressignificar essas palavras e reaprender a aproveitar as coisas boas ao máximo, dando valor para as pequenas rotinas e aproveitando esse tempo para se dedicar a mim mesma e a pessoa que eu sempre quis ser?

É difícil encontrar o equilíbrio! Foram anos correndo atrás de cenouras quase inalcançáveis e hoje eu posso me dedicar ao que eu quiser! Isso não significa que eu parei de almejar coisas ou de ter objetivos, significa apenas que os meus objetivos estão levando a experiência desses últimos 10 anos em conta e que eu tenho compreendido mais o sentido de viver o agora e de relaxar, de se permitir.
Mas, é engraçado como mesmo tendo toda essa consciência, os anos vividos com metas e calendários apertados, com dias corridos e sem tempo (mas, sempre achando tempo para fazer mais alguma coisa) ainda dominam o meu dia. E com todo o meu “tempo livre”, eu faço das minhas pequenas metas (que deveriam ser divertidas, leves e uma rota para o aprendizado), tarefas difíceis de cumprir e um fardo quase pesado demais para carregar.

Por isso, hoje, dia 13 de janeiro, quero ver meu ano (e eu mesma) em outra perspectiva e compreender de vez que eu sou a minha maior obra. Não é meu currículo, o que eu produzo ou mesmo a minha tese. É a minha vontade de viver, ânsia por conhecer lugares, habilidade em fazer amigos, vontade de se superar em alguns hábitos, querer retomar aquela Thais que escrevia com tanta facilidade, é a coragem de se arriscar ao fazer um prato novo ou mesmo compreender que tem dias que eu preciso cuidar de mim e me respeitar. Ninguém é produtivo 100% do tempo e essa ânsia em atender as demandas de um chefe imaginário só irão culminar com uma Thais ranzinza, ansiosa e sem a minha tão amada criatividade.

Como eu vou fazer isso? Ainda não sei. Mas, do jeito que comecei não posso continuar e talvez eu devesse usar a palavra que guiou meu ultimo ano, RECONSTRUÇÃO, para entender que a vida é dinâmica e que quem dita as regras sobre o que você é é você mesmo! Não deixe que ideias conformadas te tomem! Se rebele! Desacelere! Vá atrás de quem você quer ser!

E isso não tem a ver com aquelas frases prontas de “você consegue” “é só ter força de vontade”. Isso tem a ver com uma longa jornada de autoconhecimento e de parar de se comparar com a “fulaninha”. Afinal, só ela sabe quais demônios enfrenta para conseguir ser quem ela é.

E você? Terá que enfrentar seus próprios!

Óleo essencial de Patchouli: para que serve?




Um dos componentes-chaves ao se trabalhar com Práticas Integrativas e Complementares são os óleos essenciais. Com propriedades extraordinárias, os óleos essenciais precisam ser utilizados com ressalvas, pois podem causar danos à saúde se utilizados de forma errada.

O Honey Cosméticos Naturais usa dos óleos essenciais para cuidar do corpo e da mente. Hoje vou contar um pouco sobre o Óleo Essencial de Patchouli.

Com um perfume forte e amadeirado, o Óleo Essencial de Patchouli é oriundo de espécies de plantas cultivadas na Indonésia, especialmente Pogostemon heyneanus e Pogostemon patchouly (também conhecida como Pogostemon cablin).

Em relação à Aromaterapia, o Óleo Essencial de Patchouli  diminui a ansiedade e estimula a coragem, além de ter um papel afrodisíaco.

Com ressalvas e realizado por um profissional capacitado, o Óleo Essencial de Patchouli pode ser indicado para acne, cicatrização, dor de cabeça, dor muscular, estimulante do sistema nervoso, inflamações de pele e coceira causada por fungos e bactérias, retenção de líquido e edema, entre outros. Isso, graças as suas propriedades farmacológicas.

óleo essencial de patchouli


A seguir, eu irei citar 4 propriedades que fazem o Óleo Essencial de Patchouli ser tão fantástico:



1. O Óleo Essencial de Patchouli atua como antidepressivo.
Ele melhora o humor e está associado ao relaxamento, pois o aroma do Óleo Essencial de Patchouli estimula à liberação de neurotransmissores (substâncias responsáveis por realizar a comunicação entre as células do nosso sistema nervoso) que estão associados ao prazer, como a serotonina. Dessa forma, sentimentos de ansiedade, raiva e tristeza podem ser amenizados.

2. O Óleo Essencial de Patchouli atua contra infecções de pele e micoses:
O Óleo Essencial de Patchouli apresenta atividade antibacteriana e antifúngica, dessa forma pode ser usado contra infecções de algumas bactérias e fungos que podem causar mal a nossa saúde. Além de atuar contra fungos que podem contaminar alimentos.
Por isso, ele é indicado para ser usado em desodorantes naturais e cremes para pés, pois eles irão atuar em regiões propicias ao surgimento de fungos e bactérias.

3. O Óleo Essencial de Patchouli estimula a circulação sanguínea:
Tem atividade vasoconstritora (ou seja, diminui/contrai os vasos sanguíneos), melhorando a circulação e a oxigenação dos tecidos e das células em todo o corpo. Além disso, ele aumenta a quantidade de urina eliminada, diminuindo o edema e excesso de água.

4. O Óleo Essencial de Patchouli funciona como repelente:
Ele apresenta propriedades inseticidas e é muito eficaz em manter os insetos longe. O Óleo Essencial de Patchouli pode ser usado em sprays, loções corporais, vaporizadores, difusores ou em incensos.


De bônus, em 2013, um artigo publicado na revista International Immunopharmacology identificou que o Óleo Essencial de Patchouli tem ação antitumoral em células de câncer colorretal em seres humanos. 
Vale ressaltar que o uso do óleo essencial não substitui o tratamento médico convencional.

ESFOLIANTE PARA PÉS A BASE DE PATCHOULI


O Esfoliante para Pés substitui as esferas esfoliantes de plástico, utilizadas em cosméticos convencionais, por alecrim e canela. Além disso utiliza Óleo Essencial de Patchouli que hidrata peles ressecadas e atua contra aquelas temidas rachaduras no calcanhar.