Desapegar faz bem para a alma!




Você já tá sabendo que nesse mês estou trabalhando comigo mesma alguns conceitos que irão me permitir ser uma pessoa menos consumista e mais desapegada (sim, isso está na lista).

Na semana passada eu contei o que é consumo consciente para mim e disse que passei por grandes mudanças na minha vida.
Essas mudanças se refletem na forma como eu me visto e, como consequência, eu comprei muitas roupas e sapatos novos. 
Eu também precisei desapegar de coisas antigas e então eu descobri algo: é muito mais fácil adquirir algo novo do que desapegar de uma coisa que você não usa mais.

Não deveria ser segredo né? Mas, a gente só sente na pele quando se vê engolida por esse apego.
E prestenção! Esse apego não está só relacionado a bens materiais! Ele inclui ideias, conceitos, sentimentos e até pessoas.
Se você não consegue desapegar daquela blusinha que ganhou quando tinha 15 anos, quem dirá daquele sentimento de culpa por não ter tido um bom desempenho na prova!

Eu acredito que o que e como acumulamos coisas se reflete em como guiamos nossas vidas, como nos apegamos a determinados sentimentos.

Por isso, venho praticando desapegar e acho que já estou bem melhor! Já consegui doar muitas coisas, hoje empresto e não me importo com as páginas dos meus livros, já vendi algumas coisas, outras acabaram indo pro lixo (todo aquele tanto de papel que você guarda achando que vai usar um dia)... Mas, sei que ainda tenho muito o que aprender sobre esse tal desapego.

Falando sobre bens materiais, eventualmente eu tento me desapegar de certas coisas. Inclusive tenho uma lojinha no Enjoei onde posto tudo o que não uso (ou nunca usei) para venda.

Eu não sou a rainha do desapego, ainda tenho um looongo caminho pela frente. No entanto, o que eu consigo visualizar é que ter muitas coisas não significa estar satisfeito e com isso consigo aplicar alguns passos na minha vida. "Tá Thais, mas como eu começo a desapegar?". 

- Identifique no que você é mais apegada? São seus livros? Seus sapatos? Seus likes no instagram? 
-Identificou? Agora foque nisso e tente, aos poucos, substituir os valores: é mais importante deixar seu livro na estante ou emprestar pro seu amigo que tá precisando? 

- Empreste seus livros; dobre as pontinhas das páginas que você gosta; já pensou em sublinhar algum trecho legal?
- E aquele colar que você quase nunca usa, mas que sua amiga adora? Que tal dar pra ela? Vai fazer um bem danado.
- Sabe aquele batom rosa da sua coleção? Que você nunca usa porque acha que não combina com sua pele? Então, tem muitas meninas adolescentes em orfanatos que ficariam radiantes em receber itens além dos básicos (comida e roupa).
- Você não imagina sua vida sem maquiagem? Que tal sair sem ela um dia?
- E as redes sociais? Já pensou em passar um final de semana sem wifi? Impossível? Te desafio então a desligar por uma noite e não religar logo cedinho!



- Organize suas coisas. Separe-as por grupo e veja o quanto você tem do mesmo e o que você realmente precisa;
- Com isso faça uma lista do que você tem! Na minha lista ja passou de 40 blusinhas, por que um ser humano precisa de 40 blusinhas?
- E dessas coisas na sua lista, quantas você utilizou nos últimos 2 meses? 
- Não usa? Que tal vender. Você desapega e ainda faz uma graninha.
- E já pensou com essa grana você investir em você mesma? Aquela aula de francês que você tanto queria... A viagem que tá escondida lá no fundo da gaveta.



- Sabe o que é melhor do que vender? Doar! Faça alguém feliz, especialmente nesse inverno, aqueça um coração.
Várias cidades tem projetos de doações, especialmente nessa época do ano. Em Curitiba você pode conferir os pontos de coleta no site da prefeitura.



- Faça uma viagem sem luxo e na qual você não consiga levar muitas coisas. Passe uns dias só você, uns miojos, muita areia e uma barraca. No fim das contas você pode acabar percebendo que aquele creme de cabelo é muito importante, mas que todos aqueles brincos, que você costuma carregar em viagens, não fazem falta.




Mas principalmente, tente descobrir o que funciona pra você! Para me ajudar nesse processo eu estou com dois projetos:
- O primeiro diz respeito a deixar meu cabelo bem longo! Cultivar, amar, passar creminho! E então cortar! Bem curtinho! Acho que o fato de você amar e cuidar tanto de uma coisa/pessoa e depois saber a hora de deixar isso ir é essencial para a nossa saúde mental e pode nós dar uma compreensão de mundo bem diferente do que estamos habituados;
- O segundo é esse tal projeto surpresa que irá acontecer no mês de Julho. Eu espero que até o final eu consiga desapegar de tudo o que está nos meus armários que eu não uso ou que não tenho a pretensão de usar.  

Desapegar faz bem pra alma! Desapego não significa que não devemos ter certas coisas; desapego significa que devemos nos libertar das amarras que nos fazem acreditar que sem aquilo jamais poderíamos ser felizes!

Espero que esteja gostando dos posts.
Contribua, deixe seu comentário sobre o assunto. Você é boa em praticar o desapego?
Tem alguma dica de como consegue fazer isso?

Beijos...

0 comentários:

Postar um comentário