Movie Time - Mês das mulheres: filmes com grandes personagens.




O mês das mulheres está no fim, mas ainda é março!!
Não poderia faltar uma seleção de filmes com personagens que se mostram grandes mulheres e são inspirados em mulheres reais, assim como aquelas que você encontra diariamente: sua mãe, sua irmã, sua filha, sua professora, sua esposa...
Aproveita esse restinho de feriado e confere alguns dos meus filmes preferidos, que retratam a força e a beleza das mulheres.



 Cake- uma razão para viver


Prepara o lencinho, porque muito além da personagem, Jennifer Aniston mostra que sabe fazer mais do que comédia e te faz sentir na pele as dores de Claire.
Um filme que trata sobre a perda – de pessoas queridas, da vontade de viver, das pequenas coisas do dia a dia- na perspectiva de uma personagem forte (apesar de ela não saber que o é) que utiliza do sarcasmo, mau humor, vícios e da auto sabotagem para sobreviver o seu luto.
A morte é retratada em vários ângulos: a perda de um parente próximo, que não queria morrer; a perda de alguém distante, que escolheu morrer; a perda do seu coração, que apesar de bater só carrega dor e acompanha a ideia de perder a sua própria vida.
Cheio de verdades, com fatos que acontecem nas nossas vidas, o filme mostra a volta à vida de uma mulher que já não acredita mais na possibilidade de existir.
Deixar de acreditar, desistir de tentar, se perdem em nossas dores. Quantos de nós já não passaram por isso?

  Valente


Ninguém é tão bom quanto você para ter o domínio de sua vida e de suas escolhas. Essa a mensagem que esse filme - nada convencional, sobre princesas- traz.
Merida chega com tudo para quebrar estereótipos e paradigmas e se impor contra uma sociedade patriarcal que tenta delimita-la, amarrando-a a forma com que “princesas” devem ser.
Envolvendo um pouco de magia, a animação também mostra como uma imposição, nesse caso o desejo da mãe que Merida se casasse, pode prejudicar uma relação tão importante e afastar pessoas que se amam.
As pessoas têm pensamentos e vontades diferentes, e não cabe a ninguém moldar ou interferir negativamente nisso. Conversar pode levar a um consenso, as coisas podem dar certo quando você entender que a sua necessidade não é a do outro e que nem uma nem outra estão erradas: são apenas diferentes formas de ver o mundo, diferentes formas de viver.
O amor, a compreensão, a empatia e a comunicação são a chave pra o sucesso de qualquer relacionamento.

 Garota Interrompida


Quais são as razões que podem interromper a vida de uma garota?? Milhares!
O filme mostra, na perspectiva de pacientes de uma instituição psiquiátrica, inúmeras situação que levam a garotas interromperem as suas vidas (e não apenas no sentido de “tirar/perder” a vida, mas sim de deixar de viver).
O ponto principal é: como recomeçar, achar o rumo e seguir a partir desse ponto interrompido?
Vou apenas destacar algumas frases do filme que se encaixam em inúmeras situações cotidianas. Isso vai além da loucura propriamente dita, quantas vezes frases como essa não se passaram na sua cabeça? Você é louca? Você foi interrompida em algum momento ou situação da sua vida?
“Eu não tenho um plano.”
“Como eles sabem o que é ser normal?”
“Talvez eu seja apenas uma garota interrompida.”
“É como se você gritasse, mas ninguém pudesse te ouvir.”
“Eu sempre fui louca? Talvez! Ou talvez a vida seja!”

 Garota Dinamarquesa


A palavra que define esse filme, na minha perspectiva, é AMOR.
Duas mulheres fortes! Um amor imensurável.
A não aceitação de seu corpo e de seu gênero imposto socialmente, as dúvidas que rodeiam uma situação nova e “nunca” descrita em um mundo que não tem ferramentas suficientes para entender, tudo isso levando o personagem a abandonar seu antigo eu em busca dela, que sempre esteve ali, Lili.
Apesar de retratar a história real de Einar Wegener, não vejo esse filme sem o papel fundamental de sua esposa Gerda e de como ela “abriu” mão da vida “feliz” ao lado do marido para realmente tornar o marido uma pessoa feliz!
Cenas que retratam a dor em não se ser o que se quer ser; a dor de tentar e viver o impasse em que o personagem se encontra, querendo ser mulher e descobrindo que aquilo era impossível, que seu corpo não permitia por mais que sua vontade tentasse.
O filme retrata o papel do amor e do apoio em uma situação nova aos olhos do mundo, a primeira cirurgia de mudança de sexo.

 Menina de Ouro


Lute como uma garota. Lute pelos seus sonhos, ideais, pela sua vida!
Lute contra um mundo que grita “Eu não treino garotas! Você não é capaz!”,
Sim, Você é capaz!
Um filme que fala sobre luta, sonhos, preconceitos, vida.
Uma mulher guerreira insistindo em mudar o rumo da sua vida e que, de repente, se vê mudando de perspectiva.

 Juno


Uma pitadinha de comédia mostrando como é o drama de uma gravidez na adolescência e quais são as consequências e os rumos que podemos tomar em uma situação como essa.
Como isso afeta a sua vida? A da sua família e amigos? A do bebe que irá nascer? Como você irá lidar com um corpo em mudança, numa fase em que ele ainda estava em mudança? Até que ponto o pai consegue se apropriar do drama de se ter um filho, seja ele biológico ou não? Até que ponto outras pessoas podem interferir na forma como você vai lidar com a situação?
Complicado né? Pois bem, o número de gravidez na adolescência não é dos menores!
O filme traz outras mulheres interessantes, como a que pretende adotar o bebe de Juno, e mostra como personalidades diferentes, status, idades, podem ver uma gravidez de forma tão distinta.
Um diálogo entre a vida adulta e a adolescência, retratado sem verdades absolutas e caminhos certos a seguir.

  Millenium, os homens que não amavam as mulheres


O filme é baseado em uma trilogia policial e, só para deixar claro, há duas versões: a americana que ainda está retratando o primeiro livro, e a sueca que já concluiu a trilogia. Sugira assistir os dois, as visões são diferentes e se somam.
A princípio você irá achar que é um filme de suspense tradicional, focado na caça a um serial killer que “odeia” mulheres. Em algum momento, de forma sutil, você percebe que tudo, na verdade, gira em torno da vida de Lisbeth, uma garota “problemática”.
Machismo, religião, segredos, sociedade, amor, medo, violência, família, se misturam nessa trama e nos mostram como e por que Lis se transformou nessa garota durona escondida atrás de muita antipatia, raiva, couro, preto, tatoos e piercings...
Tenho certeza que assim que acabar o primeiro, irá correndo assistir aos outros dois.
“Um livro sobre a forma como milhares de mulheres são destratadas, violentadas, espancadas e mortas por uma sociedade misógina, patriarcal, em que a mulher é relegada a papel secundário pelo simples fato de pertencer ao ‘sexo frágil’.”
  
 Malévola


Você conhece alguma mulher que teve suas asas cortadas pela pessoa que mais amou?
Malévola nos mostra sua transformação após uma grande decepção e traição. Muito além, nos mostra que, apesar de toda dor e sofrimento, ainda há amor e empatia no seu coração.
Quando o ódio, a maldade e a vingança moldam a vida dos personagens e fazem com que percam a sua essência e vivam afogadas em seu rancor, uma mulher luta contra seu maior desejo de vingança e se envolve em um amor puro, que não carrega as amarras do passado.
Uma descontrução de uma vilã clássica, mostrando o caminho de sentimentos que a levou a ser quem ela é. Pode ela mudar?


Serão todas essas apenas personagens? Ou elas estão por ai, espalhadas e vivendo sua luta diariamente?

Espero que tenham gostado. Foi muito difícil fazer essa seleção, tem muito filme bom por ai. Espero que tenha gostado, sinta-se livre para adicionar o seu favorito nos comentários e não se esquece de curtir a nossa página no facebook e ficar ligadinha nas novidades!

Beijos...


0 comentários:

Postar um comentário